domingo, 8 de fevereiro de 2015

Resenha: Outlander #1 - A Viajante do Tempo

Livro: A Viajante Do Tempo
Autor(a): Diana Gabaldon
Ano: 2004
Páginas: 800
Série Outlanter:
1- A Viajante do Tempo
2- A Libélula no Âmbar (2006)
3- O Resgate no Mar (2007)
4- Os Tambores de Outono (2008)
5- A Cruz de Fogo (2009)
6- Um Sopro de Neve e Cinzas (2010)
7- Ecos do Futuro (2011)
8- Written in My Own Heart's Blood (2014 - sem previsão de estréia no Brasil)

Sinopse (Skoob): Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros.
Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente? 


“A Viajante do Tempo” conta sobre Claire Beauchamp Randall, uma ex-enfermeira da 2ª Guerra Mundial que, durante uma viagem com o marido Frank, acaba descobrindo um circulo de pedras onde bruxas realizam ritos todas as manhas. Ao se aproximar demais das pedras, acaba indo parar no passado e a primeira pessoa com quem se depara é um antepassado de Frank, e que é idêntico a ele (só na aparência). Claire é “resgatada” por um clã escocês e conhece Jamie, um rapaz gentil e corajoso. Nas tentativas de voltar ao seu tempo, Claire acaba criando ligações que não esperava, o que complica ainda mais sua volta à Escócia de 1945 e à seu marido.
Quando comecei a ler o livro, não sabia direito sobre a história, só sabia que se tratava de uma viagem no tempo (dã!). Pensei que o livro tivesse muita ação e aventura. Ter, tem, porém não tanto quanto imaginei. Mas tem romance. Muito. E muitas cenas beeeem impróprias para menores de 18. Sério, essas cenas correspondem a 80% do livro inteiro.
Mas se engana quem pensa que é um livro chato, cansativo. Adorei a escrita da autora, ri muito lendo esse livro, um dos mais engraçados que já li (pelo menos até metade dele,  quando acontece algo horrível!). As personagens são todas muito bem detalhadas, adorei a escrita em primeira pessoa pela Claire, que não é uma daquelas personagens femininas que reclamam de tudo e que é totalmente dependente de homens.
Jamie é simplesmente o homem dos sonhos de qualquer garota. Quase um Mr. Darcy, só que mais ‘sassy’. Não acho que haja algo sobre ele que não tenha gostado. Claro que ele tem suas falhas, mas isso o torna ainda mais ‘perfeito’.
Os personagens secundários tiveram muita importância na história, como Dougal, Collum, Murtagh e Geilie. Adorei o modo como a autora escreveu o antagonista, capitão Randall, que conseguiu perfeitamente passar a imagem de um homem de sangue frio, sem coração e completamente louco. Em certas partes eu tinha tanta raiva dele que queria tacar um tijolo na cara dele, especialmente por causa de tudo que ele fez com Jamie. Não posso falar mais, para não dar spoiler.
Quanto ao cenário da história, achei que a autora poderia ter detalhado um pouco mais sobre as paisagens da Escócia, mas aprendemos bastante sobre a cultura deles, que é bem interessante.
O desafio literário pedia um livro ambientado em outro país, mas achei que seria muito fácil, pois a maioria dos livros se passa nos Estados Unidos, então marquei esse livro que é num país não tão 'usado' no mundo literário.


Concluindo: Amei o livro, pretendo continuar lendo a série, mas não tão cedo. Pensava que era uma trilogia, e ao pesquisar descobri que são 7 (na verdade 8, se contar com o que ainda não foi lançado aqui no Brasil), todos com aproximadamente 900 páginas. O tamanho pode assustar, mas acreditem: vale à pena.

Nota 


Nenhum comentário:

Postar um comentário